COMO VENDER REQUEIJÃO

Uma vez ouvi uma história mais ou menos assim:

Uma senhora levou seus requeijões para vender em uma feira de comércio. Depois de algum tempo oferecendo, não obteve sucesso com as vendas.
Encontrou com um consultor do Sebrae e reclamou que estava fraco, que não havia vendido nada. Ele então sugeriu que ela oferecesse degustação de cubinhos de requeijão para que eles conhecessem a qualidade do produto. E mais, disse para ela cortar o requeijão em pedaços menores, para facilitar a venda. Além disso, sugeriu o valor a ser cobrado, que no total daria um valor maior do que se ela vendesse a peça inteira.
Cética com as sugestões, ela não quis seguir as ideias, dizendo que iria desperdiçar o produto, que ela tinha um custo com a produção e não poderia abrir mão de parte do requeijão para disponibilizar para degustação.
O consultor do Sebrae já conhecia o jeito da senhora e não quis argumentar. Foi além, dizendo que se ela não obtivesse sucesso com a estratégia, ele compraria o requeijão, livrando ela do ‘prejuízo’.
Depois dessa garantia ela levou a ideia adiante. Cortou os cubinhos para degustação e o requeijão em pedaços para facilitar a venda. Com tudo pronto, aguardou os resultados, ainda cética.
Após um tempo, não apenas conseguiu vender seus requeijões em pedaços, como vendeu muitas peças inteiras, já que as pessoas gostaram tanto do produto, que quiseram levar para suas casas para comer durante a semana.
A história mostra como é preciso repensar as formas tradicionais de vendas. É preciso se colocar no lugar do consumidor e buscar estratégias mais eficientes. É preciso arriscar, fazer diferente.